23 de agosto de 2017

Daniel Matador - Faltou competência

Cruzeiro 1 x 0 Grêmio


Caros

O Mineirão era o palco para a decisão de um dos finalistas da Copa do Brasil. E quis o destino que ele saísse entre os dois maiores campeões deste torneio. Grêmio e Cruzeiro fizeram um embate de gigantes em Minas Gerais. Revivendo as semifinais da competição do ano passado, os times de azul protagonizaram um jogo muito disputado e nervoso.

1º tempo: Cruzeiro 0 x 0 Grêmio

Aos 5 minutos, após alguns minutos iniciais nervosos, Barrios recebeu lançamento e chutou cara a cara com Fábio, que fez um milagre. Aos 7 minutos, após um bate-rebate na entrada da área, Hudson bateu forte e Grohe encaixou bem. Aos 12, um chutaço de fora da área de Thiago Neves gelou a espinha da torcida tricolor. Aos 16, Pedro Rocha cortou a marcação e chutou, mas a bola saiu pela linha de fundo. O Grêmio tinha mais qualidade até então e o Cruzeiro, via de regra, apelava para as faltas, muitas delas desleais.

Não havia chances claras de gol de ambas as partes até os 30 minutos, apesar do maior domínio de bola tricolor em pleno Mineirão. Aos 32, lançamento interceptado de cabeça na área do Grêmio e Grohe fez uma defesaça! Aos 41, falta perigosíssima na entrada da área cobrada por Thiago Neves e Grohe defende novamente. Depois de muita tensão, o árbitro encerrou a primeira etapa com o placar em branco.




2º tempo: Cruzeiro 1 x 0 Grêmio

O Cruzeiro voltou para o segundo tempo com Raniel no lugar de Elber, em uma clara tentativa de jogar com centroavante. Aos 5 minutos, após cobrança de escanteio, bola rebatida na área e Grohe encaixou. Aos 7, após outro escanteio cobrado por Thiago Neves, Hudson desviou de cabeça e abriu o placar. Aos 11, Barrios saiu para a entrada de Everton. Aos 17, mais uma cobrança de escanteio e um chute de voleio com a bola passando rente ao travessão. O Cruzeiro fazia uma pressão violenta após o gol, com o tricolor tendo menor predominância do que no primeiro tempo.

O jogo, na segunda etapa, era do Cruzeiro. Aos 32, bola desviada e novo susto na zaga gremista. Aos 38, Ramiro saiu para a entrada de Fernandinho e Edilson ganhou a braçadeira de capitão. Bressan já havia sentido antes e, aos 41, não aguentou e teve de sair para a entrada de Bruno Rodrigo. Aos 46, falta batida por Luan e Fábio encaixou para salvar. E a partida encerrou com vitória simples dos mineiros, levando a decisão para os tiros livres diretos da marca penal.




Cobranças dos tiros livres diretos da marca penal:

Fernandinho: bateu muito bem e abriu a contagem.
Sobis: bateu no canto e quase errou.
Edilson: havia perdido a última cobrança em jogo normal. Perdeu de novo, desta vez dando um bago na trave.
Robinho: bateu e Grohe fez uma baita defesa.
Everton: emulou Edilson e também deu um bago no travessão.
Murilo: bateu e Grohe salvou novamente ao defender.
Arthur: bateu como gente grande e marcou.
Raniel: belíssima cobrança no ângulo.
Luan: bateu telegrafado e Fábio pegou.
Thiago Neves: bateu bem, marcou e classificou o Cruzeiro.
 
Como jogaram:

Grohe: duas grandes defesas no primeiro tempo. Grandes defesas nas cobranças. Nota 9
Edilson: razoável no primeiro tempo, muito afobado no segundo. Perdeu a cobrança do tiro livre. Nota 0
Bressan: era o jogador visto com mais desconfiança pela torcida. Acabou fazendo uma boa partida. Nota 7
Kannemann: um monstro na primeira etapa. Um monstro na segunda etapa. Nota 8
Cortez: um dos que mais tentou os avanços, porém com poucos cruzamentos, em face da pouca presença de jogadores na área. Nota 6
Michel: mais apagado do que o normal. Nota 5
Arthur: foi um motorzinho no meio de campo. Decaiu um pouco no segundo tempo. Grande cobrança do tiro livre. Nota 8
Ramiro: ganhou a braçadeira de capitão nesse jogo, mas não fez juz a ela. Pouco produziu e saiu para a entrada de Fernandinho. Nota 3
Pedro Rocha: extremamente bem marcado. Não conseguiu reproduzir suas boas atuações no Mineirão. Nota 5
Luan: foi caçado em campo. Não conseguiu sair dela. Fez uma cobrança ruim no tiro livre. Nota 1
Barrios: perdeu uma chance clara logo aos 5 minutos. Não conseguiu sobrepujar a defesa mineira desta vez. Nota 3

Everton: entrou no lugar de Barrios, mas sumiu em campo. Ainda perdeu a cobrança do tiro livre. Nota 0
Fernandinho: entrou no lugar de Ramiro, na finaleira. Boa cobrança do tiro livre. Sem nota
Bruno Rodrigo: entrou no lugar de Bressan, na finaleira. Sem nota

Renato Portaluppi: armou o time com o que tinha, mas não conseguiu impor seu jogo, como de costume. Nota 4

Arbitragem: Wagner do Nascimento Magalhães foi o apitador, auxiliado por Rodrigo Correa e Thiago Farinha (o trio é do RJ).

Sempre complicado analisar uma desclassificação, principalmente em uma decisão por tiros livres. Mas, no jogo, o time foi irreconhecível. E, nas cobranças, foi incompetente. Agora, todas as esperanças voltam-se para a Libertadores da América.

Saudações Imortais

22 de agosto de 2017

Guaru: O raio X do Rei



Fiz uma análise completa da participação do Grêmio na história da Copa do Brasil. Essa é a 29ª edição da competição mais emocionante do futebol nacional. A única que permite que duas equipes meçam forças, sobrevivendo o time mais apto.
A Copa do Brasil de 2017 tem o privilégio de contar com o Grêmio pela 24ª vez desde 1989. Não participamos da competição em 5 oportunidades no período de 2001 a 2012, época em que a CBF vetou a participação dos clubes que disputavam a Libertadores da América.
No currículo, o Grêmio possui o invejável histórico a seguir:
Campeão
5
89/94/97/2001/2016
Finalista
3
91/93/95
Semifinalista
4
96/2010/2012/2013
Quartas-de-Final
3
92/2004/2015
Oitavas-de-Final
5
90/98/99/2005/2014
Fases Iniciais
3
2000/2006/2008

Até aqui, foram 88 embates que o Imortal travou na Copa do Brasil, dos quais tivemos êxito em 70. Um aproveitamento de 79,55%.
Enfrentamos 49 equipes de 19 estados brasileiros e o retrospecto é o seguinte:

V
D
%
RS

2
0,00%
SP
13
8
61,90%
GO
2
1
66,67%
RJ
9
4
69,23%
MG
4
1
80,00%
SC
5
1
83,33%
PR
9
1
90,00%
ES
3

100,00%
MS
1

100,00%
MT
6

100,00%
PB
2

100,00%
PE
2

100,00%
CE
3

100,00%
RN
1

100,00%
BA
6

100,00%
AL
1

100,00%
PI
1

100,00%
SE
1

100,00%
RO
1

100,00%

70
18
79,55%

            Nas 18 ocasiões em que fomos eliminados, disputamos a o jogo de ida em casa na metade das vezes. Nosso desempenho foi o seguinte:
Ida em Casa
Ida Fora
Vitória 4x3
1
2010
Empate 0x0
2
2000/2015
Empate 0x0
1
93
Derrota 1x0
2
2006/2013
Empate 1x1
3
90/91/92
Derrota 2x1
2
95/2008
Derrota 0x1
1
2004
Derrota 3x1
1
96
Derrota 1x2
1
99
Derrota 2x0
1
98
Derrota 0x2
2
2012/2014
Derrota 3x0
1
2005

            Somente em 2010, o Santos conseguiu reverter uma vitória no jogo de ida do Grêmio. A virada épica de 4 x 3 no Olímpico não foi suficiente perante a derrota de 3 x 1 no jogo de volta na Vila Belmiro.
            Nos 70 confrontos em que triunfamos, em 16 deles disputamos o jogo de ida em casa. O retrospecto foi o seguinte:

Ida em Casa
Ida Fora
Vitória 4x0
1
2017
Vitória 0x5
1
89
Vitória 2x0
2
94/97
Vitória 0x4
3
92/93/2000
Vitória 3x1
3
2001/2010/2017
Vitória 1x3
3
2010/2015/2016
Vitória 1x0
2
94/2001
Vitória 0x2
4
89/2004/2012/2016
Vitória 2x1
3
97/2001/2016
Vitória 2x3
3
97/2010/2012
Empate 0x0
1
97
Vitória 1x2
5
97/99/2006/2012/2015
Empate 1x1
1
95
Vitória 0x1
10
89/91(2)/95/96/2008/2010/2012/2015/2016
Empate 2x2
1
2001
Empate 2x2
3
89/94/2004
Derrota 0x1
2
92/2015
Empate 1x1
9
89/91(2)/93(2)/95/96(2)/2005



Empate 0x0
6
89/94(2)/98/2004/2013



Derrota 4x3
1
93



Derrota 3x2
1
2001



Derrota 2x1
3
95/99/2005



Derrota 1x0
2
2001/2013



            Em uma leitura geral, levando em conta o desempenho do jogo de ida, temos o seguinte cartel:
Jogo de Ida
Classificações
Desclassificações
%
Vitória
40
1
97,5%
Empate
21
6
77,7%
Derrota
9
11
45%

            Por fim, segue o histórico equipe a equipe:

Equipe
Classifica-
ções
Desclas-sificações
Equipe
Classifica-ções
Desclas-sificações
Corinthians-SP
5
1
Fluminense Feira-BA
1

Flamengo-RJ
4
2
Grêmio Jaciara-MT
1

Fluminense -RJ
4
2
Ibiraçu-ES
1

Palmeiras-SP
3
2
Ipatinga-MG
1

Atlético-PR
3
1
Ji-Paraná-RO
1

Criciúma-SC
3
1
Joinville-SC
1

Bahia-BA
3

Linhares-ES
1

Coritiba-PR
3

Londrina-PR
1

São Paulo
2
2
Mixto-MT
1

Fortaleza-CE
2

Operário-MT
1

Vila Nova-GO
2

Paraná-PR
1

Vitória-BA
2

Piauí-PI
1

Santos-SP
1
2
River Plate-SE
1

Cruzeiro-MG
1
1
Santa Cruz-PE
1

Portuguesa-SP
1
1
Sorriso-MT
1

ABC-RN
1

Sport-PE
1

Araguaia-MT
1

União Bandeirante-PR
1

Atlético-MG
1

União Rondonópolis-MT
1

Auto Esporte- PB
1

Vasco-RJ
1

Avaí-SC
1

Villa Nova-MG
1

Campinense-PB
1

Votoraty-SP
1

Ceará-CE
1

Atlético-GO

1
Chapadão-MS
1

Internacional-RS

1
CRB-AL
1

XV de Novembro-RS

1
Desportiva Ferroviária-ES
1


70
18

Quarta-feira daremos cabo ao 89º enfrentamento em nossa história da Copa do Brasil. Mano Menezes, treinador do Cruzeiro, nosso próximo adversário, passou confiança na última entrevista coletiva. Confiança esta que pode estar baseada em qualquer coisa, menos na estatística:
·         Vencemos o jogo de ida por 1 x 0. Isso aconteceu em 12 oportunidades e, em todas, o Grêmio passou para a próxima fase.
·         São 97,5% de aproveitamento em vitórias no jogo de ida.
·         Em 5 jogos contra mineiros, levamos a melhor em 4, ou 80%.
·         Em 12 semifinais, classificamos em 8, ou 66,6%.

Vamos Tricolor. Rumo ao Hexa!!!